Esclerose múltipla: o que se sabe sobre esta doença

esclerose múltipla sintomas, diagnóstico e tratamento

Afeta sobretudo o sexo feminino, tende a surgir entre os 20 e os 40 anos e tem maior incidência nos países afastados da linha do Equador. Eis o que se sabe sobre a esclerose múltipla.

  • Revisão científicaDra. Luísa VenturaMédica fisiatra especialista em esclerose múltipla

A esclerose múltipla é uma doença crónica, inflamatória e degenerativa, que afeta o sistema nervoso central. Nos doentes com esclerose múltipla, a mielina, substância branca que forma uma bainha isolante à volta dos axónios de certas fibras nervosas, é atacada pelo próprio sistema imunológico através de uma reação inflamatória.

A doença surge frequentemente entre os 20 e os 40 anos e afeta com maior incidência as mulheres e pessoas de raça branca. Tanto no Hemisfério Norte como no Hemisfério Sul, a esclerose múltipla é tanto mais frequente quanto mais afastada estiver da linha do Equador. A Revista Prevenir compilou em cinco pontos o que já se sabe sobre esta doença. Os dados são da Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla 

Possíveis causas da esclerose múltipla

É provável que, por razões hereditárias, haja, até certo ponto, uma propensão para a doença e que um fator ambiental desconhecido ative o sistema imunológico, conduzindo a uma doença autoimune. ou seja, não é um fator definitivo, mas quem tem familiares com esclerose múltipla tem um risco maior de a ter do que alguém que não tem.

Existem algumas teorias sobre a influência da dieta na probabilidade de desenvolver a doença, mas a ligação não é muito clara.

O diagnóstico

É feito geralmente por neurologistas através de exame clínico completo e exames complementares de diagnóstico:

  • Ressonância magnética nuclear
  • Estudo de potenciais evocados
  • Punção lombar

Os sintomas

Podem incluir:

  • Fadiga
  • Défice súbito de visão
  • Perda da força muscular e da sensibilidade nos braços e pernas
  • Dor inexplicada
  • Problemas sexuais
  • Alterações urinárias e intestinais, cognitivas e de comportamento

Tipos clínicos

Correspondem a diferentes formas de progressão da esclerose múltipla:

  • Surto-remissão
  • Secundária progressiva
  • Primária progressiva

O tratamento

A esclerose múltipla ainda não tem cura, mas existe tratamento modulador bem como a reabilitação integrada. Os corticosteroides são um tratamento importante quando ocorrem surtos.


Procure ajuda

Aprender a lidar com os sintomas e a compensá-los requer esforço e tempo do doente e de quem o rodeia. Os grupos de apoio de hospitais e associações podem ajudar.

Última revisão: janeiro 2015

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this