Localizada na face anterior da base do pescoço, a tiroide é uma glândula que produz hormonas que regulam o organismo. Conheça as doenças que lhe estão associadas.

  • PorFátima Lopes CardosoJornalista

  • Colaboração Dra. Maria João OliveiraMédica endocrinologista

Estima-se que mais de um milhão de portugueses sofra de alterações da tiroide – 80 por cento dos quais são mulheres, a partir dos 35 anos. Apesar dos números, muitas pessoas desconhecem a importância desta glândula produtora de hormonas. Como explica, à Revista Prevenir, Maria João Oliveira, médica endocrinologista e membro do Grupo de Estudo da Tiroide, da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo (SPEDM), a tiroide «é considerada uma glândula endócrina porque as duas hormonas que sintetiza são secretadas diretamente para a corrente sanguínea. A partir daí, chegam a todas as células, tecidos e órgãos».

Tiroide: o que é?

Se o corpo humano fosse comparável a um software informático, a tiroide seria o painel de controlo que permite o normal funcionamento do organismo. Pesando apenas cerca de 15 a 25 gramas, Maria João Oliveira sublinha que «esta glândula tem uma função determinante ao produzir, armazenar e libertar para o sangue duas hormonas: T3, também conhecida por triiodotironina, assim denominada por possuir três átomos de iodo; e T4 ou tiroxina, que apresenta quatro átomos de iodo na sua molécula».

Quando a tiroide produz uma quantidade insuficiente ou excessiva de hormonas, o organismo fica “desconfigurado”, dando origem a doenças da tiroide

Estas «atuam ao nível de quase todas as células e ajudam a controlar o funcionamento do metabolismo: a utilizar a energia e a regular a temperatura corporal. Possibilitam o crescimento e o desenvolvimento intelectual nas crianças; permitem um normal funcionamento do cérebro, músculos, coração e dos outros órgãos. São importantes para a memória e para o estado de humor», explica.

Iodo, elemento essencial à tiroide

Uma vez que as hormonas da tiroide são compostas por iodo, que o organismo não consegue produzir, este deve ser fornecido através da alimentação. O iodo está presente em peixes, moluscos e mariscos provenientes do mar, leite e derivados e, em quantidades muito variáveis, em alguns vegetais, consoante o teor em iodo e selénio dos solos onde são cultivados. Em caso de défice de iodo, pode também incluir o sal iodado na alimentação, não esquecendo que o uso excessivo de sal é prejudicial.


Em Portugal, a suplementação é apenas recomendada no período de preconceção, gestação e na amamentação porque se provou existir um défice de iodo durante esta fase: «Durante a gravidez, a tiroide fabrica uma maior quantidade de hormonas – suficientes para a mãe e para o desenvolvimento fetal –, pelo que necessita de utilizar mais iodo na sua síntese hormonal. Um défice de hormonas tiroideias durante a gravidez pode prejudicar a saúde da mãe e influenciar o desenvolvimento fetal, nomeadamente cerebral», alerta.

Principais alterações da tiroide

Quando a tiroide produz uma quantidade insuficiente ou excessiva de hormonas, o organismo fica “desconfigurado”, dando origem a doenças da tiroide. «Quando a concentração de T4 e T3 se reduz no sangue, a concentração da hormona hipofisária estimuladora da tiroide – TSH – eleva-se. Como menos hormonas tiroideias entram nas células, o metabolismo celular desacelera. É como se todo o organismo funcionasse mais devagar. Esta situação vai causar hipotiroidismo. Se houver excesso de produção de T4 e T3, a concentração de TSH reduz e o metabolismo celular eleva-se. As funções do organismo estão aceleradas e dá-se um maior gasto de energia, levando ao hipertiroidismo», esclarece.


A sua tiroide é saudável?

Faça o rastreio se…

• Tem história familiar de doença tiroideia
• Possui doenças autoimunes (como diabetes tipo I) ou certas síndromes (como a de Down ou Turner)
• Fez tratamentos com radiação da cabeça e pescoço
• Pretende engravidar

Fonte:  Maria João Oliveira, médica endocrinologista


Fontes de iodo

A sua tiroide precisa disto

O iodo é um elemento necessário para a síntese das hormonas tiroideias, mas o organismo não consegue produzi-lo. Percorra a galeria de imagens e descubra quais são as principais fontes.

Peixes do mar
Peixes do mar

Moluscos marinhos
Moluscos marinhos

(mexilhão, conquilha, lambujinha, berbigão)

(mexilhão, conquilha, lambujinha, berbigão)

Marisco
Marisco

Algas marinhas
Algas marinhas

(clorela, spirulina)

(clorela, spirulina)

Leite e derivados
Leite e derivados


Associação dá apoio a doentes

Criada com o intuito de apoiar os doentes da tiroide e familiares, a ADTI – Associação das Doenças da Tiróide, de âmbito nacional e sem fins lucrativos, coopera com os profissionais de saúde e proporciona aos associados acompanhamento e informação personalizada.

Última revisão: Setembro 2018

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this