Protetor solar sem dúvidas

protetor solar: qual o melhor

Deve escolher uma fórmula em spray ou em loção? O protetor solar do supermecado é tão bom quanto o da farmácia? Três dermatologistas respondem às questões.

  • PorVanda OliveiraJornalista

  • ColaboraçãoDra. Leonor GirãoMédica dermatologista
  • Dra. Manuela CochitoMédica dermatologista 
  • Dr. Miguel TrincheirasMédico dermatologista

Três dermatologistas contam à Revista Prevenir que protetor solar vale a pena comprar, como escolher e o que é, realmente, fundamental para proteger a pele do sol.

As fórmulas em spray são tão eficazes como os cremes?

«São. Os protetores solares incluem moléculas que são o filtro solar em si e depois têm toda uma envolvente, o chamado excipiente, que pode ser em creme, em gel, em óleo, em spray, que não tem nenhuma ação protetora e serve apenas para tornar a aplicação cosmeticamente mais agradável. As texturas fáceis de espalhar permitem uma aplicação mais uniforme e uma proteção mais efetiva», afirma Manuela Cochito.

Devo escolher um protetor solar com filtros químicos ou minerais?

«A maioria dos protetores solares contém filtros químicos. Estes absorvem a radiação UV, transformando-a em calor. Os filtros físicos ou minerais protegem a pele dos raios UV refletindo a luz solar e são especialmente indicados em caso de doenças dermatológicas, em situações de alergia ou de sensibilidade ao sol e nas crianças com menos de 3 anos», explica Leonor Girão, dermatologista.

Porque é que os bebés não podem usar o protetor dos adultos?

«Porque correm maior risco de alergias, além de que há uma certa imaturidade do queratinócito da criança, que não faz a reação química necessária à atuação total do produto, podendo perder eficácia», esclarece Manuela Cochito, dermatologista.

Em que casos se justifica escolher uma fórmula com proteção contra a luz visível?

Segundo alguns estudos, a luz visível pode aumentar as manchas e acelerar o envelhecimento da pele, embora não esteja ainda provada a sua carcinogénese, isto é, o seu envolvimento na formação de cancro da pele. Os produtos que oferecem proteção contra a luz visível incluem partículas minerais na sua fórmula. Estas tornam a textura do produto mais espessa e, por isso, as marcas adicionam-lhe cor.

«Os protetores mais baratos provavelmente contêm filtros solares mais antigos e uma proteção UVA baixa, uma vez que esta é muito cara»

Esta luz, como o nome indica, é aquela que se vê, não só a do exterior mas também a do interior – lâmpadas, ecrãs… Esta proteção é útil para quem está o dia inteiro em frente ao computador ou debaixo de muitos focos de luz. Para quem vai para o exterior, esta proteção também é útil, embora aí a maior preocupação sejam os raios UVA (os grandes responsáveis pelo envelhecimento da pele e pelo cancro cutâneo) e UVB (os que provocam o chamado “escaldão”)», esclarece Manuela Cochito.

Vale a pena investir numa fórmula que proteja dos infravermelhos?

«A necessidade de proteção contra os infravermelhos é muito discutível, pois não se sabe até que ponto é que estes podem causar problemas na pele», afirma Manuela Cochito.

Devo comprar o protetor no supermercado, na farmácia ou na perfumaria?

«À partida, os produtos que indicam um FPS 50+ protegem de igual forma contra os UVB, independentemente de onde são adquiridos. A diferença poderá estar em termos de UVA, bem como no tipo de filtro solar. Os protetores mais baratos provavelmente contêm filtros solares mais antigos e uma proteção UVA baixa, uma vez que esta é muito cara. As marcas especialistas em filtros solares, à venda em farmácia, têm acesso às moléculas mais sofisticadas. As de perfumaria trabalham mais na cosmeticidade e na apresentação do produto», refere Manuela Cochito.


Vale a pena comprar um protetor solar para o corpo e outro para o rosto?

«Só se justifica utilizar um produto específico para o rosto quando a pele é oleosa e precisa de uma fórmula oil free, quando foi sujeita a uma intervenção cirúrgica, a um laser, um peeling ou quando necessita de um fator de proteção superior ao do corpo», responde Manuela Cochito.

Posso usar pó compacto com proteção solar em vez do creme?

«Existem compactos de praia com FPS 50+ cuja proteção é a mesma de um creme. Devem ser reaplicados a cada duas horas e após o banho», aconselha Manuela Cochito.

À medida que a pele bronzeia, posso usar um FPS inferior?

«Não. A pele bronzeia-se para se defender dos raios ultravioletas e, portanto, o bronzeado é uma manifestação de agressão solar à pele. Se os protetores solares fossem totalmente eficazes a pele não bronzeava e isso seria o ideal, pois o acumular dessas lesões subagudas leva a outro tipo de lesões cutâneas graves. Ainda que a pele vá adquirindo uma defesa própria, que é a melanina, a agressão contínua sempre a dar-se pelo que se deve manter o mesmo índice de proteção adequado a cada tipo de pele, 30 para as peles mais escuras e 50 nas mais claras», esclarece o dermatologista Miguel Trincheiras.

É importante proteger os lábios do sol?

«É extremamente importante proteger os lábios do sol. O vermelhão labial não tem células pigmentares, não bronzeia, como tal está muito mais exposto às agressões solares. O lábio inferior, por estar mais exposto à radiação UV, é o que sistematicamente, a médio-longo prazo, desenvolve lesões malignas», alerta Miguel Trincheiras.

«Não existem protetores solares que resistam a mais de dez minutos de imersão»

Posso aplicar o protetor solar nos lábios?

«Deve usar uma fórmula específica com maior adesividade à mucosa, geralmente apresentada sob a forma de stick. O FPS aconselhado é sempre o máximo, 50+. Deve ser aplicado de hora a hora e depois de comer, beber e de sair da água», refere o dermatologista.

Vale a pena comprar um protetor solar para o cabelo?

«No caso de cabelos pintados e compridos, a proteção solar capilar pode ajudar a preservar a estrutura do cabelo, evitando que fique danificada pelo sol», responde Leonor Girão.

As fórmulas resistentes à água resistem de facto à água?

«Não existem protetores solares que resistam a mais de dez minutos de imersão. Mais vale usar um filtro solar em que confia e renovar a aplicação ao sair da água», afirma Manuela Cochito.

Se for usado na quantidade certa, o protetor solar deve dar, no máximo, para 15 dias de praia

Que fator de proteção solar devo usar se estiver o dia inteiro à sombra?

«Deve usar um fator de proteção solar 50+, contra os UVB e os UVA, porque, mesmo à sombra, está exposto não só à radiação que passa através do chapéu como à que é refletida pela areia e pelo mar», explica Manuela Cochito.

Qual a quantidade de produto que devo usar em cada aplicação?

«A aplicação deve ser generosa e em várias demãos. Isso permite que o FPS real, a quantidade aplicada, se aproxime do FPS indicado na embalagem», refere Leonor Girão. O médico dermatologista Miguel Trincheiras Não use o protetor solar que sobrou do ano anterior, pois «o risco de estar a aplicar um filtro solar que já não tem as suas características iniciais é grande, sem que isso provoque alterações visíveis no produto», avisa Miguel Trincheiras.


A fórmula ideal

  • Protege contra os raios UVA e UVB.
  • Tem FPS mínimo de 30 e, idealmente, 50+.
  • É testada dermatologicamente.
Última revisão: Julho 2018

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this