O tabaco e o álcool são os principais agressores da língua. Mas também alimentos muito quentes, picantes, salgados ou duros podem prejudicar este órgão muscular.

  • PorCatarina Caldeira BaguinhoJornalista
  • IlustraçãoRita Ferreira

  • ColaboraçãoDra. Tatiana MarquesMédica dentista

A língua é composta por duas partes: o corpo, corresponde aos primeiros dois terços e está preso ao soalho da boca pelo freio; e a raiz, no último terço, está ligada ao osso hióide por músculos e membranas.

A superfície, dividida ao meio pelo sulco longitudinal mediano, contém minúsculos pontinhos, as papilas gustativas, e, no intervalo destes, recetores do sabor.

Os músculos que compõem este órgão são importantes para a fala e a deglutição. Os extrínsecos ajudam o órgão a mover-se em todas as direções: o genioglosso deprime a língua e empurra-a para fora; o estiloglosso eleva-a para cima e para trás; o palatoglosso levanta-a e baixa-a; e o hioglosso deprime-a e retrai-a. Os músculos intrínsecos (longitudinal superior e inferior, transverso e vertical) permitem que a língua se expanda e contraia, alterando a sua forma e tamanho.

Em média, a língua humana mede 10 centímetros.

O tabaco e o álcool são os principais agressores da língua


5 sabores que a língua reconhece

A língua reconhece quatro sabores básicos e um quinto, identificado em 2002:

  1. Doce
    Açúcar, adoçantes e bebidas alcoólicas produzem este sabor.
  2. Ácido
    Esta sensação é provocada por alimentos, como o sumo de limão.
  3. Salgado
    O químico básico deste sabor é o cristal de sal.
  4. Amargo
    Cerca de 35 proteínas nas células sensoriais respondem a este sabor.
  5. Saboroso (ou umami)
    Causado por dois aminoácidos presentes nas proteínas, que conferem um sabor intenso a alimentos como o queijo
Última revisão: Agosto 2014

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this