O melhor da Web Summit 2022 em 10 frases marcantes

Terminou a Web Summit 2022. Elegemos as 10 frases que marcaram o evento

A sétima edição da Web Summit terminou. De 1 a 4 de novembro, Lisboa recebeu a maior feira de tecnologia do mundo. A Prevenir esteve lá e conta como foi.

  • PorVanda OliveiraJornalista

  • FotografiaWeb Summit

Ao longo de quatro dias, mais de 70 mil pessoas provenientes de 160 países estiveram em Lisboa para assistir à maior conferência de tecnologia do mundo. Após dois anos de pandemia em que a cimeira se realizou com restrições, os bilhetes para a sétima edição esgotaram mais cedo do que nunca, três semanas antes do evento.

Web Summit 2022: 10 frases que marcaram o evento

Foi impossível ouvir os 1050 oradores que marcaram presença num ou mais dos quase 20 palcos da Web Summit 2022.  Mas demos o nosso melhor. Com várias apresentações a decorrer em simultâneo nos cinco pavilhões da FIL – Feira Internacional de Lisboa, bem como no palco principal da Altice Arena, deixamos um resumo do que mais nos marcou.

  • Brad Smith, presidente da Microsoft

«Se vocês acordam e se sentem um bocadinho ansiosos isso é compreensível»

«Vivemos a pior pandemia em cem anos. Estamos a viver a maior guerra na Europa em 70 anos, estamos a enfrentar a recessão mais grave dos últimos 12 anos e estamos a lidar com a maior mudança climática dos últimos onze mil anos. E estamos a viver tudo isto ao mesmo tempo nos últimos dois anos», justifica Brad Smith. O presidente da Microsoft subiu ao palco principal na Altice Arena para abrir caminho à inovação no combate às alterações climáticas, «o desafio mais difícil que a humanidade já enfrentou», afirmou.

  • Dame Til Wykes, diretora da Escola de Saúde Mental e Ciências Psicológicas do King’s College London

«Nas redes sociais, as pessoas desabafam sobre a sua vida, mas um psicólogo treinado pode identificar nesse simples desabafo um diagnóstico de doença mental»

A psicóloga clínica Dame Til Wykes esteve no palco  Startup University a debater o potencial das teleconsultas agora que já não estamos em confinamento e as limitações da tecnologia no acompanhamento e diagnóstico da doença mental. «As pessoas podem beneficiar da teleconsulta, mas nem todas. Sabemos que a teleconsulta resulta muito bem para quem tem sintomas ligeiros, mas para pessoas que têm muitos sintomas a teleconsulta não é suficiente. Por exemplo, um paciente que tem um pé a tremer durante toda a consulta, isso pode dizer-me que ele sofre de ansiedade, mas se só o vir através de uma videochamada não vou aperceber-me desse sintoma», explica.

  • Olena Zelenska, primeira-dama da Ucrânia

«Devemos usar a tecnologia para salvar e não para destruir»

A tecnologia pode ser usada tanto para criar bombas como para desenvolver próteses em pessoas com membros amputados pela guerra, por exemplo, ou aplicações de saúde mental, como exemplificou Olena Zelenska. A convidada surpresa da noite de abertura da Web Summit foi anunciada pelo seu fundador Paddy Cosgrave uma hora antes do evento. Na sua apresentação, a primeira-dama da Ucrânia apresentou a Fundação Olena Zelenska. Criada no final de setembro, a fundação tem por o objetivo prestar apoio médico e ao nível da educação às pessoas afetadas pela guerra na Ucrânia.

  • Chris Anderson, curador das conferências TED

«Aquilo em que acreditamos pode mudar quem somos»

«As histórias que contamos a nós próprios, as nossas ideias podem mudar tudo», acredita Chris Anderson, curador da TED, a organização sem fins lucrativos cuja missão é a divulgação de ideias que ajudem a uma melhor compreensão do mundo e a mudar atitudes. «Alguns dos vídeos mais populares na TED são, precisamente, os que nos ensinam como estar no nosso melhor, como o de Dan Harris», exemplificou durante uma sessão de perguntas e respostas no palco Q&A da Web Summit 2022.

  • Julia Goldin, diretora global de produto e marketing da Lego

«Quando as crianças brincam elas ganham competências muito importantes que não necessariamente aprendem na escola»

Colaboração, resolução criativa de problemas, resiliência, comunicação, capacidade de trabalhar em grupo e individualmente são algumas das competências que as crianças adquirem durante a brincadeira, exemplificou Julia Goldin, que representou a marca Nº1 de brinquedos do mundo que completa este anos 90 anos de existência. «Seis peças de Lego de dois por quatro podem criar até 950 milhões de diferentes combinações e para uma criança cada combinação será algo – um avião, um foguetão, um barco, um pato.. As crianças têm uma enorme imaginação e quando brincam elas desenvolvem a sua criatividade», afirmou durante a sua apresentação no palco PandaConf. «65 por cento das crianças que hoje estão na creche vão ter empregos que ainda não existem. Temos de prepará-las para o futuro», concluiu.

  • Marta Pen, atleta olímpica

«Ser rápida não me faz feliz. Estar feliz torna-me mais rápida»

A atleta olímpica Marta Pen subiu ao palco SportsTrade com Patrícia Mamona e a jogadora de futebol Francisca Nazareth para falar sobre a saúde mental dos atletas de alta competição. «Para ter uma boa performance eu tenho de estar mentalmente bem», afirmou a também atleta olímpica Patrícia Mamona.

  • Ruth Wright, editora da Euronews Green

«É importante começarmos a atribuir nomes ao que sentimos em relação às alterações climáticas para nos apercebermos de que é algo que estamos todos a sentir»

A conversa que decorreu no palco FourthEstate tinha como objetivo responder à questão: devem as alterações climáticas dominar as notícias? A resposta não podia ter sido mais assertiva. «As alterações climáticas têm impacto em tudo e, por isso devem ser tratadas com a importância que têm», referiu Yasir Khan, diretor da Thomson Reuters Foundation.

  • Joshua Wöhle, fundador da empresa Mindstone

«50% das universidades não existirão daqui a 20 anos»

«As universidades foram criadas com o intuito de alcançar conhecimento que era de difícil acesso. O método da sala de aula com um professor em frente a umas centenas de alunos era a melhor maneira de disseminar conhecimento quando poucas pessoas sabiam ler e o acesso a livros era limitado. Hoje a realidade é totalmente diferente», começa por explicar Joshua Wöhle, fundador da Mindstone, uma ferramenta digital para guardar e organizar informação que encontra online e pretende ler mais tarde. «O tempo que uma competência se mantém relevante é cada vez mais curto. Com o aumento do uso de tecnologia e automação e com a velocidade a que o mundo está a mudar, temos de nos adaptar mais rapidamente», acrescenta. O modelo em que vamos «a um sítio específico, por um período de um, dois, três anos, esperando que o que se adquire no final possa ser usado em ambiente profissional» está a tornar-se obsoleto. No momento em que terminamos o curso, as competências adquiridas já se tornaram irrelevantes. Atualmente o valor da universidade assenta na experiência educacional. «Hoje o papel da universidade deve ser o de explorar modelos que acelerem o processo de aprendizagem para que as pessoas possam mais rapidamente aprender, no fundo, tornarem-se melhores aprendizes», conclui. O fundador da Mindstone indicou ainda:

  • 50% dos empregados de hoje vão ter de ganhar novas competências em 2025.
  • 70% das empresas já aceitam certificados online e equivalências semelhantes a graus universitários.

  • Noam Chomsky, linguista e filósofo

«A inteligência artificial não está a ajudar-nos a entender o mundo»

O linguista e filósofo de 93 anos esteve presente no palco central da Web Summit 2022 por vídeochamada para discutir o valor da inteligência artificial. Noam Chomsky sublinha que a inteligência artificial utiliza uma «linguagem impossível», uma vez que «viola as regras da linguagem humana». Esta tecnologia «pode produzir coisas úteis, como a transcrição de um texto, mas não contribui em nada para a compreensão da mente humana e de como os humanos pensam», afirmou.

  • Paddy Cosgrave, fundador da Web Summit

«O mundo veio à Web Summit e eu não podia estar mais orgulhoso de toda a equipa»

No discurso final, Paddy Cosgrave agradeceu a todos os que marcaram presença no evento, desde participantes, oradores até as centenas de voluntários e a equipa que trabalhou no evento. «Vemo-nos em 2023», disse na despedida. Os bilhetes para a Web Summit 2023 já se encontram à venda. Custam 850 euros.

Última revisão: 4 de novembro de 2022

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this