Tudo sobre a sua tensão arterial

Tudo sobre a sua tensão arterial

Tem dúvidas acerca de como medir a tensão arterial, sabe o que dizem os valores sobre a sua saúde e o que fazer a seguir? Explicamos-lhe tudo.

A hipertensão arterial é um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares. Por ser frequentemente assintomática, a única maneira de saber se tem uma tensão arterial elevada é através da correta medição da pressão sanguínea. Mas, será que sabe exatamente o que os valores da tensão arterial dizem sobre a sua saúde? E qual a forma correta de fazer a medição? Dissipe todas as dúvidas neste artigo que preparámos para si.

Tensão arterial: o que é?

É necessária uma determinada pressão para fazer o sangue circular e chegar a todas as áreas do corpo no sentido de levar oxigénio e nutrientes a todos os órgãos. A tensão arterial representa a força da pressão que o sangue faz contra as paredes dos vasos sanguíneos por onde circula. Essa pressão vai variando ao longo do dia, consoante a atividade física, da sua postura, entre outras. Quanto mais atividade física, mais elevada é a pressão sanguínea. No entanto, existem outros fatores que podem elevar a tensão arterial de forma permanente e nefasta. O tabagismo, o excesso de peso e uma alimentação rica em sal são alguns deles.

A tensão alta faz o coração trabalhar mais. Isso leva a que o músculo cardíaco engrosse e endureça, podendo levar a uma insuficiência cardíaca

Por que devemos medir a tensão arterial?

A única forma de saber como está a sua tensão arterial é através da sua correta medição. Quando a tensão arterial é elevada significa que o sangue está a exercer demasiada tensão nas paredes das artérias. Se a tensão estiver permanentemente elevada, mesmo em repouso, as artérias tornam-se mais suscetíveis a depósitos de colesterol e ao desenvolvimento de placas ateroscleróticas. No local da placa podem formar-se coágulos sanguíneos, que levam ao bloqueio do fluxo sanguíneo no interior da artéria ou menos frequentemente causar a sua rutura. Se um coágulo bloquear um vaso sanguíneo que fornece sangue ao cérebro, ocorre um acidente vascular cerebral (AVC). Se o bloqueio ocorrer num vaso sanguíneo que fornece sangue ao coração, dá-se um enfarte agudo do miocárdio. Além disso, a tensão alta faz o coração trabalhar mais. Isso leva a que o músculo cardíaco engrosse e fique disfuncionante, levando à insuficiência cardíaca.

Como se mede

O aparelho que mede a tensão arterial chama-se esfigmomanómetro. Geralmente tem um monitor digital ligado a uma braçadeira insuflável. A medição da tensão arterial deve ser efetuada em ambiente tranquilo, realizada sem pressa, na posição sentada e com o braço desnudado.

  • Não fume, não faça exercício físico, nem consuma bebidas com cafeína na meia hora anterior à medição.
  • Permaneça em repouso durante, pelo menos, cinco minutos antes de fazer a medição.
  • Durante a medição, mantenha as costas e os braços apoiados e os pés assentes no chão.
  • Coloque a braçadeira do aparelho à volta do braço (sem roupa) ao nível do coração. Uma vez que a tensão arterial alta é a grande preocupação, a medição deve ser feita no braço onde anteriormente tenham sido detetados os valores mais elevados.
  • Se é a primeira vez que mede a tensão arterial, deve fazer, pelo menos, duas medições e calcular a média ou optar preferencialmente pela segunda medição.
  • Anote o dia, a hora e o valor obtido. A medição deve ser feita sempre à mesma hora. Por exemplo, de manhã ou ao final do dia.

A menos que o seu médico lhe dê outra indicação, a sua pressão arterial deve ser inferior a 120/80 mmHg

Tensão arterial sistólica e diastólica

A medição da tensão arterial resulta em dois valores. O primeiro número diz respeito à pressão sistólica (máxima) e o segundo refere-se à pressão diastólica (mínima). A sistólica representa a pressão máxima exercida pelo sangue nas artérias que ocorre a cada batimento cardíaco. A diastólica indica a pressão mínima que o sangue exerce sobre a parede das artérias quando o coração está em repouso, entre batimentos. Apesar de ambos os valores serem importantes, muitas vezes é dada especial atenção à pressão sistólica. Tendencialmente, é esta que aumenta com a idade, sobretudo a partir dos 50 anos, e está associada a um maior risco cardiovascular. A pressão diastólica, por seu lado, tende a manter-se ao longo da vida, podendo até diminuir, devido á maior rigidez das artérias nestas idades. Os valores da tensão arterial são apresentados em milímetros de mercúrio (mmHg).


O que significam os valores da tensão arterial

A menos que o seu médico lhe dê outra indicação, a sua pressão arterial deve idealmente ser inferior a 120/80 mmHg. Acima destes valores acresce o risco de doença coronária ou acidente vascular cerebral. No entanto, uma única leitura um pouco acima dos valores considerados normais não é um sinal imediato de alarme. Pode repetir a medição e contactar o seu médico se os valores se mantiverem elevados.

Tensão arterial ótima
<120 mmHg (sistólica ou máxima) e <80 mmHg (diastólica ou mínima)

Se a sua pressão arterial apresenta valores inferiores a 120/80 mmHg é considerada ótima. Mantenha os hábitos de vida que lhe permitem ter um coração saudável.

Tensão arterial normal
120-129 mmHg (sistólica ou máxima) e/ou 80-84 mmHg (diastólica ou mínima)

Quando a pressão arterial apresenta estes intervalos significa que tem valores dentro do que é considerado saudável. A menos que o seu médico lhe dê outra indicação, deve repetir a medição uma vez por ano.

Tensão arterial normal-alta
130-139 mmHg (sistólica ou máxima) e/ou 85-89 mmHg (diastólica ou mínima)

As pessoas com pressão arterial normal-alta, por vezes designada pré-hipertensão, têm um risco cardiovascular mais elevado comparativamente às que apresentam uma tensão arterial ótima. Esse risco é duas vezes e meia superior na mulher e 1,6 vezes superior no homem, de acordo com a Direção-Geral da Saúde (DGS). Deve ser reavaliada dentro de um ano, de acordo com a mesma fonte. Nesta fase é fundamental optar por estilos de vida saudáveis, nomeadamente em relação à dieta e exercício físico.

Hipertensão arterial grau 1
140-159 mmHg (sistólica ou máxima) e/ou 90-99 mmHg (diastólica ou mínima)

Perante estes valores deve consultar o seu médico assistente. O diagnóstico de hipertensão arterial deve ser feito em consultório após verificar-se uma elevação persistente, em várias medições e em diferentes ocasiões, da pressão arterial sistólica igual ou superior a 140 mmHg e/ou da pressão arterial diastólica igual ou superior a 90 mmHg. A medição da tensão arterial deve ser feita a cada dois meses. Se estes valores não se reduzem com estilos de vida saudável, provavelmente o seu médico irá propor-lhe algum fármaco.

Hipertensão arterial grau 2
160-179 mmHg (sistólica ou máxima) e/ou 100-109 mmHg (diastólica ou mínima)

Este intervalo de valores representa o segundo grau de risco cardiovascular (moderado) e exige acompanhamento médico. A Direção-Geral da Saúde recomenda que a medição da tensão arterial seja repetida ao fim de um mês.

Hipertensão arterial grau 3
>179 mmHg (sistólica ou máxima) e/ou >109 mmHg (diastólica ou mínima)

Se a medição da sua pressão arterial apresentar valores a partir dos 180/110 mmHg, aguarde cinco minutos e volte a medir. Se os números se mantiverem elevados contacte o seu médico. O risco cardiovascular é grave e exige tratamento urgente. Se estes valores forem acompanhados de sintomas como dor no peito, falta de ar, visão turva ou dificuldade em falar não espere por uma segunda medição. Ligue de imediato para o 112.

Hipertensão sistólica isolada
>139 mmHg (sistólica ou máxima) e <90 mmHg (diastólica ou mínima)

Com a idade, pode verificar-se um aumento na pressão arterial máxima ou sistólica, enquanto que a pressão arterial mínima ou diastólica não aumenta (ou até diminui). Mesmo a partir dos 50 anos, uma pressão arterial sistólica igual ou superior a 140 mmHg é considerada sempre elevada. Se a pressão mínima se mantém abaixo dos 90 mmHg considera-se haver uma hipertensão arterial sistólica isolada.


Fontes:
American Heart Association (Heart)
British Heart Foundation (BHF)
Direção-Geral da Saúde (DGS)
Sociedade Europeia de Cardiologia (Healthy Heart)
Sociedade Portuguesa de Hipertensão (SPHTA)

Última revisão: Setembro 2020

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this