Barriga inchada? Conheça a causa e saiba como contrariar o problema

Barriga inchada? As causas e o que fazer para contrariar o problema

Se sente a barriga inchada e quer acabar com o desconforto, o primeiro passo é descobrir o que está a provocar o inchaço.

  • PorCarmen SilvaJornalista

O inchaço ou edema pode ter várias causas. «Uma das mais comuns é a retenção de líquidos (acumulação excessiva de água), que se manifesta em todo o corpo ou apenas nos pés, pernas, mãos, braços e barriga», indica a nutricionista Cátia Miranda. Se incha facilmente, mas não sabe a razão, confira algumas das causas mais comuns e aprenda a distinguir entre inchaço e excesso de peso.

Barriga inchada: as principais causas

Inflamação

É um mecanismo de defesa do corpo, pois «o sistema imunológico reconhece células danificadas e patógenos, e desencadeia uma resposta biológica para tentar removê-los», sublinha Cátia Miranda. «Quando os glóbulos brancos se concentram numa área para combater uma infeção, libertam substâncias químicas que vão combater os agentes invasores, que fazem com que essa zona inche e muitas vezes se torne sensível».

  • Como se manifesta: Os sinais «vão depender da localização, mas podem incluir calor na área ao toque, rigidez, inchaço e vermelhidão». Obstipação e diarreia «são alguns problemas intestinais que, devido à inflamação das estruturas do intestino, podem levar à produção de gases e inchaço abdominal», sublinha a nutricionista Cátia Miranda
  • Como prevenir: Inclua na dieta «farelo de aveia, arroz e chucrute; diminua o consumo de alimentos ricos em açúcar e gordura ou que resultem em sintomas de intolerância, como leite e derivados; beba água (cerca de 35 ml/kg); faça suplementação com ómega-3; cuide da saúde do intestino; pratique atividade física de forma regular e que fortaleça a região abdominal (como pilates); e evite o consumo de bebidas alcoólicas».

Retenção de líquidos

«É comum nas mulheres e contribui para a barriga inchada e celulite. No entanto, também pode ter efeitos mais graves e causar pernas e pés inchados», revela Cátia Miranda. Acontece porque, por vezes, «o corpo não consegue eliminar os fluidos em excesso e estes acumulam-se nos tecidos (a longo prazo deve-se consultar um médico)». As causas divergem entre o «consumo excessivo de sal; carência de nutrientes, como vitaminas e sais minerais (magnésio e potássio) que contribuem para a regulação dos fluidos; doenças renais, da tiroide (hipotiroidismo) e cardíacas; má circulação sanguínea; toma de medicamentos (corticoides); passar muitas horas de pé ou sentado; usar roupa demasiado apertada; e flutuações hormonais, como no período pré-menstrual e durante a gravidez», refere a nutricionista.

  • Como se manifesta: «Sensação de pernas pesadas, pernas e mãos visivelmente inchadas, distensão abdominal e mal-estar geral.»
  • Como prevenir: «Reduza a adição de sal aos alimentos, substituindo-o por ervas aromáticas com ação diurética, como salsa, funcho e orégãos, ou especiarias, como açafrão-da-índia, e evite alimentos com muito sal/sódio (batatas fritas, enchidos, caldos, molhos); beba bastante água para facilitar a excreção do sódio e dos fluidos acumulados; não ingira bebidas alcoólicas; coma alimentos ricos em magnésio, como cereais integrais e frutos gordos (avelãs, nozes, amêndoas), e em potássio, como leguminosas (grão, lentilhas); e faça drenagem linfática (massagem que ajuda a eliminar líquidos e toxinas acumulados.»

«Para saber se é excesso de peso ou inchaço, consuma alimentos “anti-inchaço” e beba muitos líquidos durante um ou dois dias. Se o inchaço não diminuir, é porque será excesso de peso»

Intolerâncias alimentares
A barriga inchada tamém pode ser uma reação ao consumo de alimentos aaos quais é intolerante. A reação de hipersensibilidade alimentar, que «culmina na produção de anticorpos IgG (ação de defesa do organismo), tem por base uma má tolerância alimentar a grupos de alimentos que não se conseguem digerir completamente, provavelmente por alguma deficiência enzimática do sistema digestivo», explica Cátia Miranda, acrescentando que «o inchaço é provocado pela má digestão e/ou fermentação no intestino». As principais intolerâncias alimentares são «à lactose e ao glúten».

  • Como se manifesta: «Diarreias, cólon irritável, cólicas, distensão abdominal, flatulência, azia», mas também através de «reações cutâneas, como irritação, acne, psoríase» e ainda «dores de cabeça, enjoos, ansiedade, depressão, fadiga e perturbações respiratórias».
  • Como prevenir: «Evite a ingestão de alimentos que possam provocar intolerância alimentar.»
  • Confirme a intolerância: «O diagnóstico de qualquer reação adversa a alimentos baseia-se em dados obtidos da história clínica, do exame dos dados e, se necessário, na realização de um plano alimentar de eliminação», indica a nutricionista Cátia Miranda.

Alimentos com substâncias tóxicas

A fruta e as verduras são «parte fundamental de uma dieta saudável e balanceada, contudo podem possuir substâncias potencialmente tóxicas», indica Cátia Miranda. «As razões pelas quais têm toxinas nem sempre são conhecidas, podendo ser dos pesticidas ou forma de a planta se proteger de prejuízos causados pelo clima, luz do sol ou micróbios». Estas substâncias ser a causa da barriga inchada porque «as nossas células gordas também podem acumular toxinas que, como são estranhas ao organismo, este não tem capacidade de as eliminar».

  • Algumas substâncias tóxicas: «Os glicosídeos cianogénicos podem ser encontrados nas sementes de maçãs e no interior carnoso das sementes de ameixas, pêssegos ou cerejas, que, quando mordidos, revelam uma polpa amarga e sabor amendoado. Os sintomas de uma intoxicação por esta substância incluem confusão, vertigem, dor de cabeça e vómitos». Há ainda os «glicoalcaloides, especificamente a solanina (toxina natural que atua como pesticida ou fungicida), presente na batata, beringela e tomate verde, apesar de em menor concentração. Em grandes doses pode causar problemas gastrointestinais, alucinações, paralisia e até morte. Por isso, se a batata está verde abaixo da casca, não a consuma». Já os nitratos estão presentes em «verduras (alface, beterraba, cenoura, espinafre, salsa, repolho, rabanetes, aipo, couve) devido à água usada na irrigação e fertilizantes de cultivo. Em altos níveis podem ser tóxicos, sendo particularmente perigosos na infância».
  • Como prevenir: «Opte por legumes e fruta da época, de preferência de origem biológica, e beba muita água e chá. Ajudam a eliminar as toxinas do corpo.»
  • Se comeu alimentos tóxicos… «… ingira, por exemplo, clorela, espirulina, aloé vera ou algas. Ajudam no processo de eliminação e desintoxicação do corpo», recomenda a nutricionista Cátia Miranda.

Mastigue 32 vezes cada “garfada” para facilitar a ação das enzimas da boca e estômago, evitar ficar com a barriga inchada

Sedentarismo

Contribui para o inchaço porque «estar muito tempo sentado ou deitado aumenta a tendência de acumulação de líquidos, assim como a probabilidade de desenvolver inflamação, entre outras condições (como doenças crónicas)», salienta Cátia Miranda. A nutricionista refere ainda que «a falta de exercício aumenta a probabilidade de dores musculares e, a longo e médio prazo, dificulta a locomoção». Ao ficar muito tempo sentado ou deitado, «a circulação sanguínea também é dificultada».

  • O que é: «A Organização Mundial da Saúde considera sedentários os indivíduos que não gastam, pelo menos, 2200 quilocalorias em qualquer tipo de atividade física (seja ginásio ou movimentos simples do dia a dia ou no trabalho) ao longo de uma semana.»
  • Como prevenir: «Faça alongamentos antes de começar o dia de trabalho; durante o expediente, faça pausas para relaxar, de três em três horas; caminhe 20 minutos por dia; e mantenha uma boa hidratação e alimentação.»

Excesso de peso

Ao longo do dia, o organismo «pode reter líquidos que vão fazer a diferença nos valores da balança (e roupa)», indica Cátia Miranda. «O inchaço acontece por fatores hormonais (principalmente durante o período menstrual) e também está ligado à dieta». Para saber se é excesso de peso ou inchaço, a nutricionista recomenda «o consumo de alimentos “anti-inchaço” (ver abaixo) e beber muitos líquidos durante um ou dois dias. Se o inchaço não diminuir, é porque será excesso de peso».

  • Como saber se tem peso a mais: «O Índice de Massa Corporal (IMC) — peso sobre a altura ao quadrado — é a forma mais técnica. Entre 25 e 30 significa excesso de peso, e igual ou superior a 30, obesidade». Contudo, como a massa muscular pode variar em pessoas com o mesmo IMC, numa consulta de nutrição avalia-se esse valor em conjunto com a medida da cintura, abdómen e anca, que favorecem a interpretação dos resultados face à relação massa gorda, gordura visceral, massa muscular e o risco de doenças cardiovasculares.»
  • Como prevenir: «A regra é manter o gasto calórico do corpo igual ou superior à quantidade de calorias ingeridas.»

Aumento de cortisol

O aumento do cortisol é outra possível causa de barrriga inchada. Pode ser causado pela «toma de medicamentos corticoides (prednisona ou dexametasona) por períodos acima de 15 dias ou pelo aumento da sua produção pelas glândulas suprarrenais, devido a stresse crónico», explica Cátia Miranda. Quando em excesso, e por um longo período, esta hormona «pode causar aumento do peso, da circunferência abdominal e do inchaço, pela retenção de líquidos, e alterações na distribuição da gordura corporal».

  • Como se manifesta: «Sono irregular; disfunção das glândulas adrenais, causada pela presença de algum tumor ou pela desregulação das células.»
  • Como prevenir: «Reduza o stresse e a ansiedade com psicoterapia e momentos de prazer, meditação e caminhadas na Natureza. Faça atividade física e coma alimentos ricos em proteínas e potássio, como ovos, peixes, aveia, amêndoas, castanhas e sementes de chia e de linhaça.»

Menopausa

Na menopausa, muitas mulheres queixam-se de barriga inchada. Neste período ocorre a diminuição da produção de estrogénio, «uma hormona produzida pelos ovários responsável pelo controlo de várias funções, como a saúde do sistema reprodutor feminino, dos ossos, do sistema cardiovascular e do cérebro», indica Cátia Miranda.

A retenção de líquidos e o sedentarismo «podem impactar mais nesta fase, sendo importante dar atenção ao estilo de vida», esclarece a nutricionista.

  • Como se manifesta: «A desregulação hormonal e alteração da microbiota intestinal levam tendencialmente ao aumento do volume abdominal.»
  • Como prevenir: «Faça várias refeições ao longo do dia; coma salada ou sopa antes do prato principal, pois ajuda a regular a quantidade de calorias ingeridas; coma alimentos ricos em proteínas e pobres em gordura, como carne e ovos biológicos, porque aumentam a sensação de saciedade; e faça exercício físico, como musculação, hidroginástica ou pilates, pelo menos, duas vezes por semana.»

Barriga inchada? Experimente a dieta anti-inchaço

Segundo Cátia Miranda «alguns alimentos podem provocar inchaço abdominal». Para fazer o despiste, a nutricionista recomenda «remover da dieta um dos seguintes alimentos de cada vez»:

  1. Açúcar
  2. Alimentos processados
  3. Sal (sódio)
  4. Bebidas com gás
  5. Alimentos ricos em FODMAP, como leguminosas, cereais, glúten, lacticínios, fruta e legumes

Além do despiste, a nutricionista aconselha as seguintes estratégias para um bom aporte hídrico:

  • Consuma alimentos ricos em água pois têm propriedades diuréticas que ajudam a combater o inchaço, como rabanete, agrião, folhas de beterraba, acelga, aipo, pepino, tomate vermelho, chuchu, abacaxi, melão ou melancia.
  • Beba 1,5 a 2 l de líquidos por dia, como água ou chás de erva-doce, hibisco, castanha-da-índia, centelha-asiática, funcho, dente-de-leão ou cavalinha.

Aposte na prevenção

Além da alimentação, a nutricionista Cátia Miranda sugere outras estratégias para prevenir as causas de barriga inchada e não só:

  • Reduza o stresse e a ansiedade através da realização de exercícios respiratórios.
  • Use meias elásticas que não apertem e roupa não muito justa.
  • Evite usar saltos altos diariamente.
  • Faça exercício físico regularmente como caminhadas, natação ou ciclismo.

Última revisão: Julho 2021

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this