É possível superar uma traição?

Como superar uma traição e manter o relacionamento

Um caso de infidelidade não tem de significar o fim de uma relação. Margarida Vieitez, terapeuta de casal, partilha o que permite superar uma traição, para que seja possível começar de novo.

  • PorCarlos Eugénio AugustoJornalista

  • ColaboraçãoDra. Margarida VieitezTerapeuta de casal e mediadora familiar

Entendida vulgarmente como um comportamento daquele que não é fiel a um compromisso, que fere a confiança e desrespeita, a traição é um conceito subjetivo, pois nem todos entendemos os atos de igual forma, refere Margarida Vieitez, terapeuta de casal, mediadora familiar e autora de vários livros na área das relações. O que para uma pessoa significa trair, para outra pode não o ser. Uma coisa é certa: com base na sua experiência clínica, a especialista refere que para os casais portugueses, a traição «é comum e cada vez mais». Mas será possível superar uma traição? Em entrevista à Revista Prevenir, Margarida Vieitez afirma que sim, explicando o que deve ser feito para que o relacionamento vença este obstáculo.

Por que se trai?

Existem dois tipos de traição: a sexual e a emocional, esta última relacionada com a atenção, partilha e apoio. Cada vez mais, as pessoas têm consciência das suas necessidades nestas áreas, exigindo que sejam satisfeitas. «A traição acontece, muitas vezes, quando estas necessidades não são preenchidas», explica Margarida Vieitez.

«[Trair ou não trair] depende muito das nossas convicções, dos nossos princípios e valores, e do que queremos para a nossa vida»

Mas há «pessoas que estão constantemente insatisfeitas e outras que precisam de adrenalina extra. Por isso, procuram viver relações “em segredo”», acabando, assim por trair, adianta.

Homens vs mulheres: quem trai mais?

«Ambos traem e ambos sentem vergonha em revelar a traição. Há um sentimento de culpa e, no caso dos homens, há o receio de serem abandonados pela família, nomeadamente, pela mulher e pelos filhos», refere a terapeuta de casal. Entre ambos os sexos, há algo em comum quando se trata de traição: o tipo de personalidade. As pessoas mais «narcisistas são muito mais predispostas a trair. Por serem extremamente inseguras, muitas vezes, pressupõem que o companheiro as vai trair e antecipam-se a essa traição, traindo em primeiro lugar. Contudo, qualquer pessoa pode trair», explica. Trair ou não trair «depende muito das nossas convicções, dos nossos princípios e valores, e do que queremos para a nossa vida. Antes de ser um compromisso com a nossa relação, é um compromisso connosco próprios», ressalva Margarida Vieitez.

É possível perdoar uma traição

«Não existem traições imperdoáveis, apenas pessoas que, por uma ou várias razões, não conseguem perdoar», afirma a terapeuta de casal. É certo que a confiança quando quebrada é difícil de reconquistar, mas, no entender da especialista, não é impossível. Para superar uma traição e voltar a ter confiança na pessoa que traiu, é preciso que esta dê provas que merece voltar a tê-la.


Para isso, deve prová-lo «todos os dias, até ao dia em que a desconfiança desaparece. Por exemplo, se a pessoa vai chegar mais tarde a casa, pode avisar o companheiro e explicar os motivos. Há casos em que a traição começou numa rede social e há pessoas que acabam por fechar as suas contas para tranquilizar o outro. Quem foi traído deve verbalizar a sua desconfiança para que o outro a possa atenuar», refere. É necessário ter a noção que «lidar com esta desconfiança pode ser um desgaste muito grande, mas tem de haver empatia suficiente para perceber o outro. A confiança constrói-se com o tempo, tal como os afetos», mas não é impossível voltar a tê-la.


Passos para superar uma traição

Superar uma traição é possível. Margarida Vieitez refere os passos que devem ser dados para o conseguir:

  • Se for traído
    – Se soube pelo próprio companheiro, analise em que medida a traição significou um “golpe” duro na sua autoestima e autoconfiança.
    – Reflita e pondere se é possível ultrapassar a situação e voltar a tentar confiar no outro. A coragem do companheiro em revelar a traição é, por vezes, o fator de diferença que vai decidir se o casal fica junto ou não.
    – Se descobriu por si mesma, deve conversar com o companheiro e dar-lhe a oportunidade de explicar se é (ou não) verdade, e, se o é, porque o fez. Deve também refletir sobre se é capaz de perdoar o companheiro e iniciar uma “nova relação”.
  • Se traiu
    -Procure perceber porque traiu e pense no compromisso que assumiu com o seu companheiro. Todas as pessoas têm um compromisso diferente. Se há pessoas para quem uma traição significa o fim da relação, outras conseguem superá-la.
    – Pondere como se sentirá se não revelar a traição. Contar ou não é uma decisão que só lhe cabe a si tomar.
    – Pense no que vai dizer. O que vai ou não contar, só a própria pessoa pode decidir. Contudo, deve evitar a culpabilização, especialmente em frente às crianças.
Última revisão: Março 2018

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this