Atividades para avós e netos

programas para avós e netos

A intereção entre avós e netos cimenta laços e tem muitos outros benefícios tanto para os mais novos como para os mais velhos. Saiba quais e tome nota de três atividades importantes para fazerem juntos.

  • PorSofia Santos CardosoJornalista

  • ColaboraçãoDra. Maria João QuintelaMédica de Clínica Geral
  • Dra. Rita Castanheira AlvesPsicóloga clínica infanto-juvenil e de aconselhamento parental

Embora o papel dos avós dependa de múltiplos fatores como as características da família, a idade e a situação profissional do avô ou da avó ou até a proximidade física, esta é uma relação, por norma, próxima e especial, que deve ser preservada. «Alguns estudos revelam que os netos que convivem regularmente com os avós apresentam mais generosidade e autoestima, melhor rendimento académico e inteligência emocional, menores taxas de depressão e ansiedade, bem como uma melhor relação com os seus pares. No entanto, estes benefícios também dependem muito do tipo de relação, das características individuais e familiares, entre outros fatores», refere Rita Castanheira Alves, psicóloga infanto-juvenil e autora do projeto Psicóloga dos Miúdos. Mas esta relação não é só favorável para os netos. Maria João Quintela, médica de Clínica Geral e presidente da Associação Portuguesa de Psicogerontologia, afirma que «o convívio e as atividades desenvolvidas com os netos são um enorme fator protetor do risco de isolamento e depressão nos mais velhos».

3 programas para avós e netos

Rita Castanheira Alves, psicóloga infanto-juvenil, indica três atividades para avós e netos fazerem juntos e explica porque são importantes para as crianças.

  1. Jogos de tabuleiro «Permitem desenvolver a tolerância à frustração (quando se perde), a capacidade de persistência, de não desistir, de ter estratégia e de jogar em equipa (se for o caso).»
  2. Ir ao teatro «Estimula a criatividade e a imaginação e permite o desenvolvimento de competências sociais e de valores tanto sociais como individuais.»
  3. Ouvir música «Promove o desenvolvimento da criatividade, do raciocínio e da coesão familiar. As músicas mais antigas permitem à criança conhecer o seu passado e saber de onde vem.»

Eu, avó

«Os meus netos enchem-me de vida»

Maria João Quintela, médica de clínica geral, partilha a sua experiência enquanto avó.

«Faço múltiplas atividades com os meus netos. Gosto de ler histórias e de passear com eles. Gosto de ir ao cinema, aos museus, ao jardim zoológico, ao oceanário ou à praia, fazer piqueniques (mesmo em casa), de tocar piano, cantar, dançar, fazer desenhos e de lhes ensinar canções ou histórias de outros tempos… Também gosto de participar com eles em atividades extraescolares como o futebol e o canto, fazer biscoitos ou pão, entre outras muitas coisas boas. Quando os meus netos estão comigo, não há tempos mortos, pensamentos tristes nem saudades dolorosas, não há dores nem cansaços inultrapassáveis ou quaisquer prioridades para além deles. Os meus netos enchem-me de vida e de saúde física e mental.»

Eu, neta

«[Os meus avós] ajudaram a construir a minha identidade»

Rita Castanheira Alves, psicóloga clínica infanto-juvenil e de aconselhamento parental, relembra a sua infância no papel de neta.

«Com os meus avós, divertia-me e aprendia determinadas coisas que não aprendia com os meus pais. Sentia muita cumplicidade com eles em algumas atividades que fazíamos juntos. Por exemplo, quando jogávamos às cartas, passeávamos ou cozinhávamos. Lembro-me que gostava especialmente de ouvir histórias antigas, fazer trabalhos de costura com a minha avó, tratar da natureza e de ir almoçar fora. Essas experiências foram essenciais, acima de tudo, porque diversificaram as minhas vivências e ajudaram a construir a minha identidade.»

Última revisão: Julho 2017

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this