Tem diabetes? Cuide bem dos seus pés

Tem diabetes? Cuide bem dos seus pés

Se sofre de diabetes, os pés são uma zona sensível em que um traumatismo, mesmo pequeno, se não for tratado, pode ter consequências graves. Preste mais atenção aos seus pés e aprenda a prevenir problemas.

  • PorCarmen SilvaJornalista

  • ColaboraçãoRui OliveiraEnfermeiro especialista da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP)

Os pés, apesar de muitas vezes esquecidos, são importantes para a saúde global visto serem «essenciais para a nossa locomoção. Logo, se estiverem doentes, ficamos muito limitados», refere Rui Oliveira, enfermeiro especialista da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP). Cuidar dos pés é ainda mais relevante quando se sofre de diabetes, visto a doença poder causar vários problemas nesta zona do corpo, como «insensibilidade, má circulação arterial e rigidez articular, que predispõem a feridas que surgem sempre como um pequeno traumatismo», sublinha o profissional de saúde, acrescentando que, «se a situação se for agravando, pode mesmo levar a uma amputação». É, por isso, necessário estar atento aos pés para garantir que, «caso surjam alterações importantes, sejam detetadas antes de se tornarem problemas graves».

«Ao analisar os pés, deve procurar mudanças na pele, como alterações na cor, gretas, zonas de descamação, bolhas, borbulhas e calosidades»

Faça um check-up diário

Os pés devem ser observados «todos os dias, aproveitando, por exemplo, o momento da lavagem», indica Rui Oliveira. A observação deve ser feita «numa posição confortável, sentado numa cadeira, e num local com boa luminosidade». Ao analisar os pés, deve «procurar mudanças na pele, como alterações na cor, gretas, zonas de descamação, bolhas, borbulhas e calosidades». Ainda segundo o enfermeiro, «é preciso ter especial atenção aos espaços entre os dedos, onde habitualmente se desenvolvem infeções fúngicas». Além disso, também se devem «examinar as unhas, visto que possíveis manchas podem ser resultado de uma micose». Quando detetada alguma destas alterações, deve recorrer a um profissional de saúde.

«As unhas devem ser limadas, em vez de cortadas», recomenda Rui Oliveira. Lime-as uma ou duas vezes por semana, com limas de cartão

Lave-os todos os dias

É importante lavar diariamente os pés porque «a falta de higiene leva facilmente ao aparecimento de infeções fúngicas ou mesmo bacterianas», indica Rui Oliveira, acrescentando que «o característico cheiro de pés transpirados é um exemplo da necessidade de higiene». Os pés devem ser lavados com uma esponja natural ou uma luva turca macia e sem serem imersos, como explica o enfermeiro, «ao final do dia ou do turno de trabalho (quem trabalha de noite deverá lavar de manhã), com água morna ou fria e sabonete». Quanto à temperatura da água, segundo o site da APDP, pode ser verificada com um termómetro ou com o cotovelo, mas nunca com os próprios pés pois, se os nervos estiverem afetados (devido à diabetes), a pessoa terá pouca sensibilidade e pode queimar os pés já que, ao molhá-los em água muito quente, vai senti-la apenas morna. Quanto ao sabonete, os ideais têm «um pH próximo do da pele. O sabão é um produto de limpeza de roupa, já o sabonete é para a pele e, como tal, são exigidos testes de segurança dermatológica». Após a lavagem, os pés devem ser bem secos com uma toalha de algodão de tom claro (para identificar mais facilmente alguma ferida), «sobretudo nos espaços entre os dedos, para evitar que o excesso de humidade leve ao crescimento de fungos».

«Na eventualidade de haver calosidades, podem ser removidas com uma lixa manual de pés, devendo ser evitadas lâminas pelo risco de corte»

Mantenha-os hidratados

A pele dos pés precisa de estar hidratada, e «quem tem a pele seca deve hidratá-la diariamente», refere Rui Oliveira, recomendando a utilização de «cremes com ureia, com percentagens entre dez e 30 por cento, de acordo com a gravidade da secura». Pelo contrário, devem ser evitados cremes gordurosos «porque não hidratam, apenas lubrificam o exterior da pele». O uso de esfoliantes também não é aconselhado e, como reforça o enfermeiro, «apenas devem ser usados cremes com muita ureia». Na eventualidade de haver calosidades, podem ser «removidas com uma lixa manual de pés, devendo ser evitadas lâminas pelo risco de corte», salienta o enfermeiro.

«Quem tem diabetes deve evitar traumatismos, por isso não deve andar descalço, sobretudo se tiver diminuição da sensibilidade», aconselha Rui Oliveira, enfermeiro

Não corte, lime

Cortar as unhas pode causar traumatismos e cortes errados devido à utilização de instrumentos cortantes, como tesoura, alicate, corta-unhas ou lâminas, daí que, para prevenir estas situações, «as unhas devam ser limadas em vez de cortadas», recomenda Rui Oliveira. É aconselhado o recurso a limas de cartão e limar as unhas uma ou duas vezes por semana, como mencionado no site da APDP. Mas na hipótese de surgir uma ferida, decorrente dos cuidados com as unhas ou de outra situação, esta «deve ser lavada com soro fisiológico (ou água, se não tiver soro) e protegida com uma compressa», aconselha Rui Oliveira, argumentando que «em vez de se tentar desinfetar com tinturas ou outros produtos que “pintam”, deve-se procurar um profissional de saúde, de modo a que seja observada e analisada».


Quem me ajuda?

«A pessoa com diabetes deve ser acompanhada habitualmente pelo médico ou enfermeiro de família, que devem observar os pés pelo menos uma vez por ano. Quando é detetado algum problema, estes profissionais podem encaminhar para uma consulta de pé diabético, da responsabilidade de equipas constituídas por médicos, enfermeiros e podologistas com experiência nesta patologia», indica o enfermeiro Rui Oliveira.


Calçado: principais cuidados

Para preservar a saúde dos pés e evitar traumatismos, o enfermeiro Rui Oliveira recomenda:

  1. Use calçado adequado ao formato e tamanho do pé.
  2. Use sempre meias.
  3. O salto deve ser discreto, com cerca de dois centímetros, para os homens, e dois a quatro centímetros, para as mulheres.
  4. Se usar chinelos ou sandálias, use-os sempre com meias.
  5. Evite chinelos de enfiar o dedo

A opinião do especialista: Posso usar?

O enfermeiro Rui Oliveira esclarece algumas dúvidas relacionadas com questões estéticas, como a aplicação de verniz ou o uso de joias nos pés.
Verniz
«É uma opção estética, mas nunca saudável. Se se pintar devido a um evento, deve retirar-se a seguir (evitando métodos físicos, como raspar). Quanto ao verniz, a transparência da unha deve manter-se, para preservar a sua saúde.»
Unhas de gel
«A aplicação e remoção danifica a unha verdadeira. A secagem com raios infravermelhos ou ultravioleta aumenta a incidência de neoplasia nos dedos.»
Joias
«O seu uso não é aconselhado porque podem causar pontos de pressão nos tecidos moles e originar feridas.»

Última revisão: Agosto 2020

Mais sobre:

Diabetes

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this