Dermatologista ensina: como hidratar bem a pele

Como hidratar bem a pele

A hidratação é o primeiro passo para uma tez jovem e saudável, mas como hidratar bem a pele? Leonor Girão, médica dermatologista, aponta os hábitos de vida e descomplica os rituais de beleza que qualquer tipo de pele merece para «estar no seu melhor».

  • PorSónia RamalhoJornalista

  • ColaboraçãoDra. Leonor GirãoMédica dermatologista

«A pele protege-nos do meio exterior, tanto dos microrganismos, como da poluição e das diferenças de temperatura. Para isso, tem de estar no seu melhor, ou seja, com elasticidade e sem haver orifícios, fissuras ou feridas. Por ajudar a manter a sua função de barreira intacta, a hidratação é por isso essencial», explica Leonor Girão. Mas como hidratar bem a pele? Este cuidado pode ser garantido de duas formas: por dentro – através da alimentação – e por fora – graças à aplicação de cosméticos. «A hidratação que ocorre graças à água que existe na circulação e que entra, por osmose, nas células, permite que estas tenham a elasticidade necessária. Daí que seja vital beber água diariamente», sublinha a médica dermatologista. Os alimentos que privilegiamos no dia a dia também interferem no estado geral da pele: «Devemos ter uma alimentação saudável e variada pois só assim estamos a garantir que ingerimos os diversos nutrientes essenciais, entre eles vitaminas e minerais presentes nos frutos e vegetais. Dietas restritivas – mesmo as que privilegiam o consumo de vegetais – tendem a ter carência de nutrientes, como o cálcio ou a vitamina D», alerta Leonor Girão.

Como hidratar bem a pele: o papel dos cosméticos

Outra forma de manter a pele hidratada é evitar que a água que nela existe “saia”. Na prática, é isso que fazemos quando aplicamos um creme hidratante. «Este tipo de fórmula contém lípidos, ceramidas e substâncias oleosas que, ao serem aplicadas à superfície da pele, fazem com que a água se mantenha no seu interior. Ajudam a manter a elasticidade da pele, evitando a perda de água (transpiração), resultante do calor e das diferenças de temperatura», descreve a especialista.

Hidratantes para o rosto e corpo

O ideal é usarmos um hidratante de rosto «de manhã e à noite, a seguir à lavagem», e uma fórmula de hidratação específica para o corpo após o banho, todos os dias. «Aplicar hidratante uma vez por semana no corpo não é suficiente», refere a médica dermatologista que explica porque se justifica o uso de cosméticos específicos para o corpo e rosto: a pele da face, por estar mais exposta, «é mais agredida e tem características diferentes, nomeadamente o facto de ter mais glândulas sebáceas, o que significa que pode ser mais oleosa do que a do corpo. Os hidratantes corporais tendem a ser demasiado oleosos e oclusivos para a face, podendo piorar essa oleosidade e provocar acne», acrescenta a médica dermatologista. Além disso, as fórmulas dos hidratante de rosto «permitem que a face não fique brilhante, mas antes com um tom mate, sem dar um aspeto carregado».

Escolha bem o cosmético

As necessidades de hidratação variam consoante o tipo e/ou o estado da pele. «A pele pode estar seca devido a uma inflamação, ou seja, sem que esse estado seja sinónimo de desidratação». A desidratação denuncia-se quando a tez fica «mais áspera, com uma sensação de repuxar, a seguir ao banho, podendo haver descamação», descreve a médica dermatologista. Neste caso, a pele pede «um produto que seja mais cremoso e que, eventualmente, tenha mais lípidos», aconselha a médica dermatologista. Já uma pele muito oleosa e mais espessa «também precisa de hidratação, mas, neste caso, de fórmulas específicas para este tipo de pele, mais fluidas, de preferência em gel ou à base de silicone, que mantenha a hidratação e elasticidade sem deixar uma película oleosa». Uma vez que pele do rosto está mais exposta ao meio exterior – sol, vento e frio –, em algumas pessoas os vasos superficiais da derme dilatam, deixando-a mais sensível e menos tolerante. «Se for o caso, deve-se usar cremes mais específicos para pele sensível», refere Leonor Girão.

Não basta hidratar o rosto

Embora a pele do rosto esteja, de facto, muito exposta e, por esse motivo, tendamos a cuidar dela com maior empenho, é também importante não descurar outras áreas do corpo.

  • Lábios
    «Ao passarmos a língua pelos lábios para os humedecer, a evaporação dessa água faz com que sequem mais. Devemos usar regularmente um produto em stick ou creme labial com proteção solar», recomenda Leonor Girão.
  • Braços e pernas
    «Esquecemos que os braços e as pernas também têm de ser hidratados todos os dias, mas são as zonas do corpo mais secas, por terem menos glândulas sebáceas», lembra a especialista.
  • Cotovelos e calcanhares
    São as zonas de maior fricção, em que a pele é mais grossa. «Existem hidratantes específicos para estas zonas e é importante esfoliar com alguma regularidade, seguida de aplicação de cremes hidratantes específicos, nomeadamente produtos hidratantes para os calcanhares que podem ser aplicados nos cotovelos e joelhos», diz a médica dermatologista.

A água termal ajuda a hidratar?

«Ajuda a acalmar a pele pois tem iões com propriedades calmantes. Não é a água termal que hidrata a pele, mas faz com que a água fique retida. Depois é o creme, ou o gel que se aplica de seguida que vai ajudar a selar a água dentro da pele. Ou seja, sempre que se usar água termal, deve-se aplicar de seguida um creme hidratante.»


Evite estes hábitos

Se quer saber como hidratar bem a pele tem de conhecer os erros a evitar. Leonor Girão, médica dermatologista, aconselha-nos a evitar estes gestos tão comuns.

  • Água muito quente
    «Ao lavar o corpo com água muito quente, mesmo sem usar um detergente, há uma parte da gordura que sai pela ação da temperatura, o que faz com que a pele fique mais seca.»
  • Lavar com glicerina
    «Por vezes, as pessoas optam por lavar a pele com sabonete de glicerina, o que seca mais a pele, ou usam produtos muito detergentes, que acabam por desengordurar em demasia.»
  • Esfoliação exagerada
    Não é benéfico «usar diariamente produtos demasiado abrasivos ou fazer esfoliações demasiado fortes, por exemplo com luvas de crina», refere Leonor Girão. A esfoliação pode ser feita uma vez por semana por quem «tenha uma pele mais grossa e oleosa, mas nas pessoas de pele fina pode ser excessivo e irritante», diz a especialista, que aconselha o uso de vitaminas «para aplicação tópica, nomeadamente a vitamina E, que tem um efeito calmante e ajuda a pele a manter-se saudável».
Última revisão: Agosto 2019

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this