Depilação íntima: tudo ou nada?

Vantagens e desvantagens de cada técnica de depilação íntima

As principais técnicas de depilação íntima analisadas à lupa. Escolha a melhor para a sua pele e para a sua saúde.

  • PorManuela VasconcelosJornalista

  • ColaboraçãoDra. Manuela CochitoMédica dermatologista

Hoje, a depilação genital vai muito além do contorno do biquíni. Segundo um estudo realizado nos Estados Unidos da América e publicado no The Journal of Sexual Medicine, 95 por cento dos universitários inquiridos (homens e mulheres) tinham-se depilado no mês anterior. E metade das mulheres admitiu manter a zona genital hairfree (“sem pelos”), durante a maior parte do ano. Remover a totalidade (ou quase) dos pelos da zona púbica não é sinónimo de garantia de higiene. Pelo contrário, aumenta a necessidade de cuidados nesta zona.

O pelo tem uma função e há uma razão para se concentrar na zona genital: protege-a de infeções e defende a pele do atrito. «De facto, ao removermos os pelos, desprotegemos um pouco a zona, mas não há nenhuma doença associada à depilação na zona genital», comenta Manuela Cochito, dermatologista, em entrevista à Revista Prevenir. Os benefícios da depilação íntima total são, sobretudo, estéticos, embora seja atribuída maior sensibilidade no ato sexual, devido ao contacto direto com a pele. Antes de avançar, deve, contudo, certificar-se de que não tem lesões que possam favorecer infeções ou irritações cutâneas. Seja qual for o método usado «nesta zona, o mais importante é ter uma higiene cuidadosa», sublinha a especialista.

Espuma/ creme depilatório

Duração: até uma semana

Com um resultado idêntico ao da lâmina, os produtos depilatórios são, contudo, os menos indicados para a zona genital, se o objetivo é fazer mais do que as virilhas.

  • Vantagens
    Aplicação fácil e depilação sem dor.
  • Desvantagens
    Na depilação íntima, os químicos do produto podem sensibilizar a pele. Manuela Cochito não aconselha esta técnica na zona genital, pois, «muitas vezes, os químicos provocam irritação e ardor».
  • Cuidados
    – Para garantir que a sua pele reage bem aos componentes deste tipo de produto, antes de se depilar, coloque um pouco do creme numa zona da virilha, de modo a fazer um teste prévio.
    – Aplique o produto sobre a pele seca e remova-o com uma espátula minutos depois (siga as indicações da embalagem).

Lâmina

Duração: até uma semana

É a técnica mais barata e simples para eliminar temporariamente os pelos. A zona genital não é exceção, mas requer precaução e destreza extra.

  • Vantagens
    É um método rápido e indolor.
  • Desvantagens
    O pelo é cortado e cresce em apenas alguns dias. Dada a “geografia” púbica, há maior risco de corte e de posterior infeção ou irritação cutânea.
  • Cuidados
    – Prefira produtos específicos para depilação: lâmina ergonómica e espuma, de preferência suave e sem perfume. Se necessário, apare os pelos primeiro com uma tesoura e só depois use a lâmina no sentido ascendente (se tiver tendência para ter pelos encravados, faça-o no sentido do pelo).
    – «Deve sempre esticar bem a pele para evitar golpes», sugere Manuela Cochito. Depile-se após o duche: além de limpa, a pele fica mais suave, o que reduz o risco de irritação.
    – Aplique um creme ou óleo hidratante suave, com aloé vera ou vitamina E.

Cera

Duração: 3 a 4 semanas

É um dos métodos mais usados e, na opinião da médica dermatologista, o segundo mais eficaz para fazer a depilação íntima, logo a seguir ao laser. «A cera pode ser quente ou fria; depende da técnica que se preferir», explica.

  • Vantagens
    Resultado eficaz e duradouro.
  • Desvantagens
    Dor ou desconforto na remoção do pelo; probabilidade de pelos encravados.
  • Cuidados
    – Seja exigente: evite cera reciclável e use sempre espátulas descartáveis para reduzir o risco de infeção.
    – Além da higiene, também a técnica é vital para um resultado perfeito e minimizar a vermelhidão. «É uma zona sensível e a depilação não poderá ser feita com a mesma energia. Quer a temperatura da cera quer a forma como puxa têm de ser doseadas», sublinha a dermatologista.

Máquina depilatória

Duração: até 3 semanas

Este aparelho de uso caseiro, geralmente, não permite um acesso fácil a certas zonas. A usar, prefira um modelo que inclua acessórios e cabeças de corte reguláveis, específicas para a área genital.

  • Vantagens
    Resultado e duração semelhantes à depilação com cera ou com lâmina, dependendo do acessório usado (cabeça que extrai ou que corta o pelo).
  • Desvantagens
    Dor na remoção do pelo aliado ao risco de pelos encravados, se não usar cabeça de corte.
  • Cuidados
    – Prefira fazer a depilação íntima depois do banho, uma vez que a água quente facilita a tarefa.
    – Certifique-se de que as lâminas da máquina estão limpas e não pressione a pele.
    – Nas zonas mais inacessíveis, use uma pinça ou a lâmina.
    – No final, aplique um óleo ou creme hidratante.

Laser

Duração: definitiva – requer várias sessões

Antes de experimentar a depilação a laser, convém ter a certeza de que pretende eliminar o pelo, já que este método é definitivo. Segundo a American Dermatology Association, pode esperar-se uma redução até 25 por cento na primeira sessão, dependendo do número de vezes da área a tratar. O resultado dura semanas/meses e o pelo que volta a crescer é, em regra, mais fraco.

  • Vantagens
    Boa opção para evitar obstrução do pelo. «Quem tem problemas de pelos encravados nessa zona tem mesmo de recorrer ao laser, não há alternativa», diz Manuela Cochito.
  • Desvantagens
    «Na zona púbica, a pele é, regra geral, mais escura, por isso é preciso atenção na calibração dos lasers para não haver queimaduras», alerta. Certifique-se de que o local está licenciado. Apenas um profissional habilitado e experiente poderá garantir uma depilação segura.
  • Cuidados
    – Primeiro, a pele deve ser cuidadosamente limpa e depois aplica-se um gel para atenuar a sensibilidade. Segue-se o tratamento com laser, que incidirá em cada folículo e cuja duração depende da área a tratar.
    – Nos primeiros dias após o tratamento, poderá sentir algum desconforto, a zona pode ficar avermelhada e ligeiramente inchada. Aplicar compressas húmidas pode aliviar. Além disso, deverá evitar exposição solar (regra que se aplica a qualquer tratamento laser).
Última revisão: Janeiro 2016

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this