Aumentar o peito sem efeito silicone

mamoplastia de aumento sem efeito silicone

Escolher bem o tipo, o tamanho e a técnica de aplicação de implantes mamários aumenta a probabilidade de garantir um resultado mais natural.

  • PorSofia Santos CardosoJornalista

A colocação de implantes mamários está indicada nos casos em que «as mulheres se sentem descontentes com o tamanho da mama, quando a mama apresenta malformações, nomeadamente assimetrias ou nos casos de mama tuberosa (uma malformação congénita que afeta o tamanho e a forma da mama) ou quando se pretende restaurar o volume natural da mama que foi perdido na sequência de uma gravidez, de uma perda de peso ou do envelhecimento», defende Luísa Magalhães Ramos, cirurgiã plástica, em entrevista à Revista Prevenir. Não é por acaso que esta é a cirurgia plástica e estética mais procurada no mundo pelas mulheres, de acordo com um estudo realizado pela Universidade Técnica de Munique, na Alemanha. De acordo com os autores, só em 2015, foram realizadas 1,5 milhões de mamoplastias de aumento. Em Portugal, estima-se que sejam importadas 15 mil próteses mamárias anualmente.

Que critérios devemos ter em conta ao escolher o tipo de implante mamário?

«O tipo de prótese mais adequado varia consoante a estrutura física da mulher. É importante avaliar a altura e largura do tórax, o tamanho da mama, ou seja, se a mama é pequena ou quase inexistente (hipoplasia) ou se a mama é descaída (ptose). Além disso, é importante ter em conta os resultados que a paciente pretende, nomeadamente se pretende um decote mais volumoso ou se prefere um decote mais discreto.»

Que aspetos condicionam o efeito final do implante?

«É a combinação de todos estes fatores, a estrutura da mulher, a forma e o volume do implante, bem como o tipo de projeção aplicado que irá influenciar o resultado final. Em termos de forma, as próteses podem ser redondas ou anatómicas, também chamadas de “gota” ou “lágrima”, que podem variar em altura e largura e também ao nível da projeção, que pode ser baixa, moderada, alta ou extra-alta.

«As próteses anatómicas têm um formato mais natural, por serem mais semelhantes ao formato da mama, tornando o decote menos marcado»

As próteses redondas permitem dar mais volume na parte superior da mama. Se forem de projeção alta ou extra-alta darão um efeito mais redondo e um decote mais marcado. No entanto, também podem permitir um decote mais discreto, se for utilizada uma projeção moderada ou baixa. Por outro lado, as próteses anatómicas têm um formato mais natural, por serem mais semelhantes ao formato da mama, tornando o decote menos marcado. Além do formato, o revestimento das próteses também pode ser diferente, podendo ser de poliuretano ou microtexturizado.»

Qual é o revestimento mais indicado para a mamoplastia?

«O revestimento em poliuretano está associado a uma taxa mais baixa de contratura capsular [endurecimento do implante], a um menor deslocamento do implante e a uma menor taxa de rotação. São ideais para as mulheres em que se anteveja a necessidade de baixar o sulco [a dobra localizada na parte inferior da mama]; em mamas com alguma ptose; nos casos secundários de rejeição de implantes; e em mastopexias [cirurgia de levantamento do peito].»

Para uma mulher de estatura média, qual é o tamanho máximo das próteses que recomenda?

«Sabe-se que quanto maior for o tamanho do implante, maiores serão os riscos de complicações no futuro, como o rippling [enrugamento da pele], alterações da posição do implante, afinamento dos tecidos e maior palpabilidade. Dessa forma, tento sempre utilizar as opções mais razoáveis, para evitar problemas no futuro. A maioria dos implantes que utilizo estão entre os 250 ml e os 350 ml. Por exemplo, passar de uma copa A para uma copa C é bastante frequente.»

Em média, qual o preço de uma mamoplastia de aumento?

«O valor médio de uma mamoplastia de aumento varia de 3950 a 7000 euros. Quanto mais complicada for a cirurgia e mais tempo demorar, mais cara vai ser, por exemplo, nos casos em que é necessário corrigir complicações de cirurgias prévias ou a que é associado um lifting mamário. Os implantes anatómicos e com revestimento de poliuretano são mais caros do que os implantes redondos ou com revestimento microtexturizado. Já o tamanho do implante e a sua localização não têm impacto no preço.»

«A substituição das próteses deve-se, muitas vezes, às modificações do corpo da mulher decorrentes de uma gravidez, da amamentação, de oscilações de peso e da idade»

Qual é a duração média de uma prótese mamária?

«Durante os últimos anos, houve um grande desenvolvimento dos implantes e da sua qualidade, pelo que não existem estudos que nos indiquem o tempo exato da sua durabilidade e de quando devem ser substituídos. A cirurgia de revisão é realizada, normalmente, entre 8 e 10 anos após a mamoplastia de aumento, sendo que, na maioria dos casos, os implantes não apresentam alterações. A substituição das próteses deve-se, muitas vezes, às modificações do corpo da mulher decorrentes de uma gravidez, da amamentação, de oscilações de peso e da idade. No entanto, se os implantes mantiverem a sua integridade e não existirem alterações na mama, não é necessário substituí-los.»

A partir de que idade é possível fazer uma mamoplastia de aumento de forma segura?

«A idade considerada ideal depende de vários fatores como o desenvolvimento mamário, o amadurecimento psíquico e a capacidade emocional que são necessários para respeitar todas as fases adjacentes à cirurgia e encarar de forma tranquila quaisquer complicações que possam surgir (ainda que raras). É preferível não realizar a mamoplastia de aumento antes dos 18 anos, quando o desenvolvimento mamário já está concluído e os resultados podem ser mais duradouros. Por outro lado, não há um limite de idade, desde que a mulher seja saudável e esteja consciencializada de todo o procedimento cirúrgico.»

Depois da cirurgia, quais são os cuidados a ter?

«Durante o primeiro mês, a paciente não deve fazer quaisquer esforços físicos e deve evitar fumar para evitar complicações na cicatrização. Deve também respeitar o número de sessões de drenagens linfáticas indicadas pela equipa médica, assim como a medicação e, principalmente, usar o sutiã e a faixa que são recomendados.»

Ao fim de quanto tempo após a cirurgia é possível retomar a vida social e profissional?

«Ao fim de quatro a dez dias. No entanto, deve esperar-se pela consulta de observação, altura em que a paciente é informada sobre o momento em que deve retomar a sua atividade normal.»

Depois de colocar um implante, a mulher pode amamentar normalmente?

«As técnicas cirúrgicas atualmente utilizadas evitam a interferência com a glândula mamária.»

As próteses mamárias podem representar algum risco para a saúde?

«Devido à evolução das próteses mamárias, hoje em dia, a probabilidade de ocorrer uma rutura das próteses é extremamente baixa, sendo que o gel que compõe estas próteses é altamente coesivo e, no caso de ocorrer uma rutura, o gel não vai espalhar-se, permanecendo dentro da cápsula do próprio implante, contrariamente às próteses que existiam anteriormente, em que o gel era líquido e podia espalhar-se. As próteses mamárias que, por exemplo, utilizamos são de marcas aprovadas pelas mais reconhecidas entidades reguladoras da Europa e dos Estados Unidos da América e estão presentes no mercado há mais de 25 anos, como a Allergan, a Mentor e a Polytech.»

Existe alguma relação entre o uso de próteses mamárias e o cancro?

«Os implantes mamários já foram associados ao desenvolvimento do linfoma anaplástico de células grandes. No entanto, ainda não são conhecidas as ligações exatas entre o uso de implantes e este tipo de linfoma. Sabe-se apenas que os casos são raríssimos e que, quando surgem, desde que detetados atempadamente e devidamente tratados têm um prognóstico excelente. No futuro, o estudo desta patologia pode trazer novidades que permitam mais esclarecimentos.»


Mamoplastia de aumento: Qual a melhor técnica para si?

Atualmente, são utilizadas duas técnicas na mamoplastia de aumento que se distinguem pela localização do implante. A médica cirurgiã plástica Luísa Magalhães Ramos indica a técnica, geralmente, recomendada em cada caso.

mamoplastia de aumento - duas técnicas

“Sou muito magra e tenho pouco tecido mamário”

  •  Técnica ideal: Dual plane – Este implante mamário é colocado atrás do músculo grande peitoral (A). A prótese (B) fica quase impercetível mas o pós-operatório é mais doloroso.

“Tenho tecido mamário mas quero mais volume”

  • Técnica ideal: Subglandular ou subfascial – O implante mamário (B) é colocado à frente do músculo grande peitoral (A), por baixo de uma fina membrana que o envolve, a fáscia (no caso da técnica subfascial). Em ambos os casos, a recuperação é menos dolorosa, mas os implantes são mais palpáveis.

Por onde é colocada a prótese?

 

mamoplastia de aumento: por onde é colocada a prótese

1. Pela aréola

Esta é a região onde a cicatriz fica mais disfarçada. A técnica periareolar permite retirar pele à volta da mesma, levantando a mama, sendo indicada nos casos em que o peito está descaído. Não deve ser utilizada em mulheres com as aréolas demasiado pequenas.

2. Através das axilas

Tem a vantagem de não deixar cicatriz na mama. No entanto, é um acesso cirúrgico mais longínquo que, em alguns casos, pode dificultar o descolamento da bolsa para o implante.

3. Por baixo do peito (sulco inframamário)

Esta é a zona de incisão mais utilizada. Está associada a uma menor probabilidade de infeção, de alterações de sensibilidade e de rejeição dos implantes e de complicações quando são necessárias reintervenções. Não está indicada em mulheres que têm propensão para formar queloides (endurecimento da pele na zona da cicatriz).

 

Última revisão: Janeiro 2018

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this