7 formas simples de resistir ao açúcar

7 formas simples de resistir ao açúcar

Atua no cérebro como uma espécie de droga e quando consumimos um pouco queremos mais. Mas resistir ao açúcar é possível.

  • PorCatarina Caldeira BaguinhoJornalista

  • ColaboraçãoDr. Albino Oliveira-MaiaNeurocientista
  • Dr. Miguel RegoNutricionista

Quando ingerimos doces, o cérebro recebe a informação de que temos açúcar na boca através dos recetores das papilas gustativas. São eles que enviam impulsos nervosos para o seu centro do olfato e gosto. Aí, «a perceção da presença de açúcar no organismo tem um efeito ao nível dos neurotransmissores no sistema nervoso central», descreve Albino Oliveira-Maia, neurocientista responsável pela Unidade de Neuropsiquiatria do Centro Clínico Champalimaud.

Quando em excesso, o açúcar é prejudicial para a saúde, causando inflamação no organismo

Além de serotonina e endorfinas, ao comermos açúcar, o nosso cérebro produz dopamina, o neurotransmissor do prazer. «Quer pelo seu sabor quer pelo seu efeito pós-digestivo e calórico, o açúcar aumenta os níveis de dopamina nos centros de recompensa do cérebro. Tal explica a vontade que sentimos para consumir alimentos doces», ensina. Contudo, quando em excesso, ele é prejudicial para a saúde, causando inflamação no organismo. Com a ajuda de especialistas, a Revista Prevenir explica-lhe quais as melhores estratégias para conseguir resistir ao açúcar.

Somos viciados em açúcar?

No livro Açúcar, o Pior Inimigo (Vogais), Richard P. Jacoby, médico-cirurgião, e Raquel Baldelomar, especialista em estratégias de marketing médico, revelam: «Quando come alimentos açucarados, está a consumir um pó branco que é tão viciante como a cocaína (…). É exatamente a mesma via ativada pelos opiáceos, tais como a cocaína e a heroína e a morfina. É também a mesma via ativada pela nicotina».


O termo “vício” não é, contudo, consensual entre a comunidade científica. Albino Oliveira-Maia concorda que, do ponto de vista neurológico e comportamental, «o açúcar tem características similares às que se verificam nas dependências químicas». Contudo, adianta que não se pode afirmar que consumir açúcar é uma dependência. «Não podemos dizer que alguém que consome excessivamente substâncias doces tem o mesmo problema de quem consome heroína».

Estratégias para resistir ao açúcar

Não é fácil, é um facto. Mas através de mudança de hábitos na alimentação é possível resistir ao açúcar, e, assim, não pôr em risco a saúde.

  • Comer boas gorduras
    «A vontade de comer açúcar é a forma do corpo pedir a gordura que não está a receber. Em vez de uma bolacha, coma antes abacate ou queijo de cabra gordo», recomendam os autores do livro Açúcar, o Pior Inimigo.
  • Beber água
    «Por vezes, quando pensa que tem fome e deseja uma barra de chocolate, tem, na verdade, sede», lê-se no livro.
  • Combinar sabores
    Utilize fruta em pratos de carne ou peixe. «A combinação do doce com o salgado pode ajudar a reduzir a necessidade de concentrar o sabor doce num bolo de pastelaria ou num chocolate», explica Miguel Rego.

«Quando come alimentos açucarados, está a consumir um pó branco que é tão viciante como a cocaína»

  • Usar malagueta mais vezes
    «A malagueta é rica em capsaicina que lhe dá o sabor picante e promove a estimulação dos mesmos centros nervosos de prazer que o açúcar. Desta forma, ajuda a contrariar a necessidade de comer doces», explica o nutricionista.
  • Acrescentar uma pitada de sal
    Uma forma de salientar o sabor doce natural dos alimentos é acrescentar uma pitada de sal. Se o seu batido de fruta não lhe parecer suficientemente doce, siga um dos conselhos do livro Açúcar, o Pior Inimigo: adicione uma pitada de sal.

Erros a evitar

  • Não o substitua por adoçante
    «É preferível ir reduzindo gradualmente a quantidade de açúcar que se junta ao leite, café ou chá do que utilizar adoçantes e continuar a habituar o organismo ao sabor doce», aconselha Miguel Rego, nutricionista.
  • Não o exclua de repente
    «Resistir ao açúcar de forma drástica só aumentará a frustração que resultará, mais tarde ou mais cedo, numa ingestão de açúcar muito maior. Um quadrado de chocolate preto, uma vez por semana, é uma opção perfeitamente razoável. Contém um maior teor de cacau e menos gordura do que o chocolate de leite.» Se não resiste a um doce, «leite creme ou aletria caseiros (com menos adição de açúcar) são uma boa alternativa», refere o nutricionista.
Última revisão: Setembro 2015

artigos recomendados

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this